Possessão – Poesia

Possessão

Poesia de Noé de Toledo
Quando paro na calçada e observo a multidão
Que corre sempre agitada num frenesi sem fim
Fico estático, perplexo, entro em introspecção
Vejo não ser diferente, isso tudo está em mim
Quanto tempo é perdido à procura de um valor
Algo que acreditamos nos fará enfim felizes
Mas a loucura da vida com seu rosto enganador
Joga-nos por toda parte só criando cicatrizes
O que se deve buscar para sairmos da tortura?
No que se deve repousar para se curar da vida?
O que se deve pensar para sairmos da loucura?
No que se deve banhar para o curar da ferida?
Não há nenhuma resposta do meu lado de fora
Tudo é muito vazio sem sentido ou contento
Vive-se vidas inteiras até a esperança ir embora
Até que se finda na morte, ainda de vida sedento
Todo homem tem uma dor, um segredo escondido
Que age criando obstáculos o treinando como ator
Por fora o que dele se espera e por dentro possuido
Pelo que realmente ele é mas reprime por temor
Caminho sem ter minha resposta, apenas consciente
O que sou conflita com o mundo já moldado na ilusão
Possuido pela sede de ter um momento inteligente
Preciso construir o que tenho dentro do meu coração
Quero encontrar em mim a fonte do espírito eterno
Que embora oculto sempre nos mantém na luz
Revelando o amor, e fechando a porta do inferno
Criado a partir das tolices do mundo que nos seduz
emagreca de modo definitivo

1 comentário


  1. Perfeito poema! Perfeito poeta!

Comentários encerrados.