A terceira idade e a alimentação

Com o passar dos anos muitas mudanças ocorrem em nosso corpo. Para aqueles que vivem muito, o envelhecimento é inevitável. Sofremos alterações metabólicas e hormonais que exigem mais atenção com a saúde.

Vários fatores contribuem para deficiências alimentares no idoso: a mastigação fica comprometida conforme se perdem os dentes; há, também, uma diminuição no paladar e olfato. Isso pode diminuir o prazer de comer; muitos idosos fazem uso de medicações, o que torna o processo digestivo mais lento e, algumas vezes, ineficaz; há uma maior tendência à obstipação intestinal – intestino preso -; algumas pessoas têm maior dificuldade na deglutição – engolir os alimentos -; alguns idosos desenvolvem demência, que interfere com a alimentação.

Tudo isso pode dar início a um processo de desnutrição no idoso, algumas vezes imperceptível em sua fase inicial, que com o tempo pode debilitar bastante sua saúde de maneira geral. Esse processo pode causar anemia, perda de massa muscular, fraqueza, suscetibilidade para infecções, acentuar o envelhecimento, causar diminuição nas atividades mentais e até provocar a morte. Uma observação mais atenta ao estado geral do idoso pode ser muito útil para o diagnóstico precoce da desnutrição, possibilitando sua correção imediata.

Alguns conselhos úteis:

  • Tome líquidos – água, sucos naturais e infusões – com regularidade, mesmo que não esteja com sede. Os líquidos são, também, muito importantes para o bom funcionamento intestinal;
  • Tente comer pequenas quantidades de alimentos a cada três horas. Isso é especialmente recomendado àqueles que perderam o paladar ou o prazer em se alimentar;
  • Evitar consumir bebidas alcoólicas;
  • Esforce-se para uma mastigação mais eficiente. Se não for possível, tente alterar a consistência dos alimentos, tornando-os mais moles ou pastosos;
  • Tente fazer suas refeições em local de seu agrado;
  • Evite alimentos industrializados;
  • Se tiver condições, faça caminhadas regulares. Atividade física faz milagres com a saúde;

Um cardápio colorido pode ser bastante atrativo aos olhos, e rico em nutrientes.

Devemos comer alimentos ricos em ferro, como feijão, rúcula, agrião e carne vermelha. Se quiser aumentar a eficácia na absorção do ferro, inclua acerola, cenoura, laranja, kiwi – são alimentos ricos em vitamina C – isso ajuda a prevenir anemia. Leite e derivados, como queijo, ajudam no fornecimento de cálcio. Suplementos vitamínicos podem ser muito úteis, quando prescritos pelo médico.

A combinação arroz e feijão é excelente, principalmente quando acompanhada de alimentos proteicos como queijo, carne, ovos, entre outros.

Frutas, verduras e legumes fornecem muitos nutrientes importantes, além de fornecerem as fibras, tão necessárias ao bom funcionamento intestinal.

Atenção à alimentação. Qualquer dúvida, procurar um médico clínico e um nutricionista.