A importância do uso do filtro solar

O verão está chegando, e isso aumenta a intensidade da luz do sol. Mesmo locais cobertos, quando abertos, com muitas janelas, ou artificialmente iluminados, não podem nos proteger da exposição aos raios ultravioleta.
Os raios ultravioleta são originados no Sol, em lâmpadas de mercúrio e fluorescentes. São assim chamados por estarem num espectro radioativo acima da luz violeta, a última cor percebida pelo olho humano. Há vários tipos, mas os dois mais prejudiciais à pele humana, que conseguem chegar à superfície da terra, são o UV-A e o UV-B.
Ambas as radiações são igualmente nocivas. A radiação ultravioleta A (UV-A) obrigou a indústria farmacêutica a dotar os filtros solares de PPD (Persistent Pigment Darkening); e a radiação ultravioleta B (UV-B), a obrigou a dotar os filtros solares de FPS (fator de proteção solar), que representa seu grau de proteção.
A exposição constante a esses raios pode causar desde queimaduras até câncer de pele.
Precisamos nos proteger. Roupas, como camisas de mangas compridas, calças e sapatos já são de grande valia, mas sobram, ainda, o pescoço, o colo, a face, as mãos e, para os calvos, o couro cabeludo. Um chapéu de aba pode ser muito útil, mas não pode ser usado o tempo todo.
A tecnologia farmacêutica avançou tremendamente, inclusive no campo da indústria cosmética. A invenção do filtro solar acabou se tornando um meio de extrema importância para a preservação da saúde da pele.
Como explicado acima, sofremos lesões tanto pelos UV-A quanto pelos UV-B, portanto o FPS – acima de 30 -, e o PPD, devem estar presentes no filtro solar a ser escolhido.
Algumas coisas a saber sobre o filtro solar:
• Retarda o envelhecimento;
• Deve ser aplicado mesmo em dias sem sol ou em ambientes fechados;
• Deve ser aplicado várias vezes ao dia;
• A eficiência máxima do FPS é de 30;
• Não são a prova d’água, e se diluem quando passados em pele molhada.
Cuidem de sua pele!