Roséola

O susto dos pais com suas crianças, quando estas apresentam o exantema súbito – ou roséola –  se preferir.

 

Esse texto tem a intenção de dar alguns esclarecimentos sobre uma infecção muito comum em crianças, principalmente entre as de 6 meses a 2 anos – mas pode acontecer até os 4 anos – que, pelo modo abrupto e agudo como acontece, causa grande preocupação aos pais. A doença pode afetar qualquer criança, independente do estado nutricional ou de saúde em que se encontre. Estamos falando do exantema súbito ou roséola. Esse nome é dado pelo fato de que, em seu curso, a doença vai apresentar o aparecimento de pequenas manchas vermelhas na pele, às quais chamamos de exantema ou roséola.

A roséola é uma doença infecciosa viral. Na grande maioria dos casos benigna, ou seja, evolui bem e não deixa sequelas na criança. É causada, na maioria das vezes, por um vírus do herpes humano, o tipo 6 ou, algumas vezes, o tipo 7. Há, também, outros vírus que podem causar a roséola, embora numa frequência bem menor. São eles:  o enterovirus, os coxsackie vírus A e B, adenovírus e parainfluenza tipo 1.

Sua transmissão é, ainda, objeto de estudo, pois não conhecemos completamente todos os seus mecanismos. Mas sabemos que pode ocorrer por gotículas de saliva, secreção nasal e outros fluidos, quando se entra em contato com pessoa infectada. Em escolinhas infantis é bastante comum. Imaginem quantos brinquedos são mordidos, lambidos e até mastigados pelas crianças que permanecem nesses locais! Há, também, a possibilidade de a transmissão ocorrer a partir de uma pessoa adulta que não apresenta sintomas e nem sabe que está infectada.

Após a criança ter se infectado, os sintomas terão início entre 5 e 15 dias. São sintomas súbitos, com quadros contínuos de febre entre 38,5 a 42,2 graus Célsius. Esse período febril pode durar de três a cinco dias. Isso é assustador para os pais pois, além da febre e da irritação causada por esta, na maioria dos casos não há outros sinais. Se aparecerem costumam ser: nariz escorrendo, tosse, diarréia bem fraquinha, falta de apetite e de vontade de brincar. A febre desaparece tão subitamente quanto começou. Normalmente, as manchinhas vermelhas aparecem após a diminuição da febre ou quando esta vai embora e podem durar horas ou dias. As manchinhas não costumam coçar e ocorrem principalmente no tronco; depois podem, mas não necessariamente, se espalhar para pescoço, rosto, pernas, mãos e pés.

Esses casos devem ser avaliados pelo médico pediatra. O tratamento mais comum será sintomático e deverá prevenir a desidratação.

Complicações são raras. As mais comuns são convulsões febris. Meningites e encefalites já foram relatadas, mas são muito incomuns.

Geralmente pessoas a partir dos 4 anos já são completamente imunes à roséola, quer tenham ou não tido a doença. Adultos só a contrairão se forem imunodeprimidos e, mesmo assim, não desenvolverão o quadro característico das crianças.

emagreca de modo definitivo