Júpiter, nosso maior vizinho

Como todos sabemos, estamos flutuando no espaço, girando ao redor do Sol, acompanhados por mais 7 planetas, um planetoide – Plutão -, asteroides, poeira e cometas! São inúmeros os objetos que dão forma ao nosso Sistema Solar.
O Sol é uma estrela comum, pequena, quando comparada a muitas que conhecemos, mas é nossa fonte de vida e a base que sustenta todo o sistema. O Sol gira ao redor do centro de nossa galáxia, acompanhado por todos os seus orbes, em um período aproximado de 230 milhões de anos. O Sol está na ponta de um dos braços da Via Láctea, chamado Braço de Órion.
Muito se tem a falar da maravilha que é isso tudo, mas hoje vou falar um pouco sobre Júpiter, o maior planeta de nosso sistema, cujo nome se originou do principal Deus do panteão greco-romano.
Júpiter é tão grande que sua massa total é 2,5 vezes maior do que a massa de todos os outros planetas juntos. Não é sólido como a terra; é chamado de planeta gasoso. É o quinto planeta em distância do Sol, sendo os quatro anteriores os seguintes, respectivamente: Mercúrio, Vênus, nossa Terra e Marte.
Nem todos os planetas de nosso sistema possuem luas: Mercúrio e Vênus não têm. A Terra tem uma, nossa lua; Marte tem duas, Júpiter tem, pelo menos, 67 luas – é que sempre há a possibilidade de se descobrir mais uma.
Lua, também chamada de satélite, é definida como um corpo celeste sem luz própria, que gira ao redor de uma Planeta.
As primeiras luas de Júpiter foram descobertas por um padre italiano chamado Galileu Galilei, em 1610. São elas: Ganimedes – a maior lua do sistema solar, maior até que o planeta Mercúrio -, Calisto, Io e Europa.
A gravidade de Júpiter é mais de duas vezes e meia maior que a da Terra. Em Júpiter um homem de 70kg pesaria 165,4 Kg.
Como está muito mais distante do Sol do que a Terra, seu ano dura cerca de 12 anos terrestres. Há momentos em que fica muito longe de nós, quando em oposição, e outros onde se aproxima bastante, quando do mesmo lado que nós, em relação ao Sol. Estamos, agora, num momento assim, onde o planeta nos aparece mais luminoso. De um modo geral é o quarto corpo celeste mais brilhante para nós – algumas vezes Marte pode brilhar mais que Júpiter. Em ordem de intensidade de brilho, estão: o Sol, a Lua, Vênus e depois Júpiter.
Espero que tenham gostado dessas curiosidades sobre nosso Planetão vizinho.