Estruturação da Mente do Homem

Retomando o homem desde seu nascimento, podemos perceber que à medida em que seu corpo se desenvolve, proporcionalmente, se desenvolve sua sensibilidade aos fenômenos de seu meio que são percebidos. Os olhos se abrem, passam a perceber a luz. Quase sempre a primeira imagem marcante que temos é a do rosto de nossa mãe; nossos ouvidos passam a perceber os sons e com isso, também, a voz de nossa mãe. Aos poucos começa a relação desse bebê com o mundo. De início, aparentemente, o bebê sente-se parte da mãe e, com o passar do tempo, começa a se diferenciar. É interessante observar que toda vez que chora, o bebê atrai atenção para si, então, cada vez que deseja a presença da mãe, ele chora, pois em seu primeiro entender, essa é a forma de conseguir o que quer. No início, o bebê nada sabe do mundo e, aos poucos, praticamente tudo lhe é ensinado. Com o desenvolver da percepção, começa a se desenvolver, também, a habilidade mental. Quando começa a processar quantidades maiores dessas informações sensoriais, começa a criar os rudimentos da realidade que passará a ser o seu universo interno. Quando observamos crianças brincando, percebemos que há algo em sua estrutura emocional muito difícil de ser explicado, que torna único cada um de nós, isso se evidencia quando vemos a reação diferente de cada uma delas a um mesmo estímulo. Situações como essa indicam que a realidade tem muito da forma como é sentida. Parece, então, que a realidade é diferente para cada um de nós.