Envelhecimento saudável

Até o início dos anos 90, acreditava-se que a velhice era implacável e tinha um curso pessoal baseado na herança genética, seguida do resultado de hábitos praticados pela pessoa durante a vida, não se podendo interferir, de modo efetivo, em sua evolução.

No início dos anos 90, um grupo de médicos americanos criou a “Academia médica americana do antienvelhecimento” (Academy of Anti-Aging Medicine) que, revolucionando a visão médica daquela época, mostrou que era, sim, possível interferir no curso do envelhecimento, não o impedindo, mas preservando a saúde a qualidade de vida das pessoas mais idosas e daquelas em processo de envelhecimento, inclusive prolongando suas vidas.


Em um artigo recente do Dr. Paulo Camiz, médico Geriatra da USP, são estabelecidos cinco pilares para o antienvelhecimento:

– Dieta saudável
– Atividade física regular
– Inserção social
– Saúde emocional
– Controle de doenças


A dieta saudável é aquela adequada ao metabolismo e à intensidade dos hábitos físicos individuais de cada pessoa. Combatendo a obesidade e promovendo uma diminuição dos chamados radicais livres, é possível diminuir inflamações e oxidações no organismo.


Atividade regular se refere a exercícios físicos praticados, considerando-se a capacidade de cada um, promovendo melhora muscular e maior flexibilidade, além de fortalecer o sistema cardiorrespiratório das pessoas.


Inserção social envolve um trabalho de especialistas e da família, promovendo uma interação constante entre as pessoas mais idosas e o meio em que vivem – familiar e social – além de estimular a participação dessas pessoas em projetos de artes, inclusive faculdades da terceira idade, mantendo-as ativas e úteis.


A saúde emocional acaba sendo uma consequência das ações anteriores, pois com esses cuidados a pessoa se sente querida e, participando da dinâmica familiar, feliz e motivada.


No controle de doenças entram os médicos, tratando as complicações comuns da idade, como dores, reumatismos, pressão alta, diabetes, obesidade, perda auditiva, catarata, etc.


Portanto, encare o tempo com coragem. Já temos meios de diminuir drasticamente as dificuldades da idade. Se queremos viver bastante, não poderemos evitar o envelhecimento, mas poderemos aproveitar as coisas boas que existem em cada fase da vida.