A liberdade religiosa

A religião é um direito fundamental da humanidade. Em algum momento de nossas vidas nos damos conta das questões fundamentais: quem sou eu, de onde vim e para onde irei?
O direito humano à liberdade religiosa inclui seguir qualquer religião que se deseje, ou não seguir religião alguma. Também garante o direito de acreditar ou não em um Deus.
Há momentos na vida de todos nós em que as coisas não saem muito bem, nos colocando numa situação de “falta de sentido para as coisas”, pois não sabemos para onde correr. Nesse momento, a maioria das pessoas se volta para algum tipo de crença ou de religião, enquanto outras preferem encontrar respostas na filosofia ou em algum outro modo mais tangível pela lógica e pela razão.
A diversidade é a característica inerente ao Ser Humano e, diante disso, a causa das incontáveis crenças professadas pela humanidade, incluindo a descrença – que não deixa de ser uma crença.
Diz a Declaração Universal dos Direitos Humanos: ”Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; esse direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular”.
Infelizmente vivemos num mundo onde isso não acontece universalmente. Muitos homens e mulheres sofrem violência por não terem as mesmas opiniões da maioria.
Vamos pensar sobre o significado da vida, sua natureza efêmera e na diferença de opinião que existe entre nós. Com essa reflexão poderemos compreender melhor a natureza humana e nos livrar de visões pequenas, passando a considerar o outro como um igual e, assim como nós, digno da felicidade que está procurando!