A importância da Autenticidade

Todos temos uma concepção única e pessoal da vida. Não há, no mundo todo, duas pessoas que pensem da mesma maneira. Cada um de nós tem seu universo secreto e, dentro de seus parâmetros, uma forma de se adequar à existência.
É muito inteligente observar as pessoas, admirar alguns de seus feitos e aprender com a experiência delas, mas tentar imitá-las não parece ser efetivo quando o objetivo é encontrar realizações e sabedoria.
Como disse, certa vez, Arthur Schopenhauer: ”Nunca tomar ninguém como modelo”. Segundo o filósofo, “para as nossas ações e omissões, não é preciso tomar ninguém como modelo, visto que as situações, as circunstâncias e as relações nunca são as mesmas, e porque a diversidade dos caracteres também confere um colorido diverso a cada ação”. Quando duas pessoas fazem a mesma coisa, não é a mesma coisa.
Diante de situações que nos surgem, exigindo uma ação ou omissão, devemos observar o “todo” de modo maduro e com seriedade e, segundo nosso caráter, agir sem parcimônia como entendemos correto.
Agindo assim, estamos sendo originais, e há uma consonância entre nossos atos e o que realmente somos.
É a autencidade que nos confere consistência e confiança. Busquemos ser quem somos, sempre honestos e respeitando o espaço dos outros. Assim nunca perderemos tempo elaborando uma ideia ou postura compatível com o papel que representamos, correndo o risco de, numa distração, que eventualmente acontecerá, nossa máscara cair.